Aperte enter para pesquisar

Mundo

'ETIAS'

Europa vai exigir autorização de viagem de brasileiros

Conforme anunciou a Comissão Europeia, o objetivo é assegurar que o passageiro não seja uma ameaça à segurança. Veja a partir de quando ele será necessário, quanto vai custar, como emitir e quem vai exigir. Até Portugal, nossa terra mãe, vai pedir o documento

por Jonas Laskouski

Atualizado em 27/08/2019 - 03h27

Brasileiros que visitarem a Europa vão precisar de um novo documento para entrar em 26 países. A permissão, chamada de “Sistema Europeu de Informações e Autorização de Viagem” (Etias, na sigla em inglês) não tem o mesmo peso que um visto, mas será obrigatória a partir de 2021.

 

A obrigatoriedade do documento, que além do Brasil vai passar a valer para outros 14 países da América Latina, é uma exigência do Parlamento e do Conselho Europeu para melhorar a segurança interna e prevenir a imigração ilegal.

 

A autorização será indicada para viagens de turismo, negócios, com objetivos médicos ou mesmo quem estiver apenas passando pelo país, em escala para outro destino.

 

O Etias (European Travel Information and Authorization System) vai reunir informações pessoais dos passageiros, como as viagens anteriores e se o solicitante faz parte de alguma lista “no fly”.

 

Os pedidos serão processados automaticamente e é esperado que o sistema aprove a grande maioria das autorizações quase imediatamente. Caso o cruzamento de dados mostre alguma informação relevante para o risco de segurança, no entanto, o pedido poderá ser negado. As recusas devem ser justificadas e o solicitante tem o direito de recorrer.

 

O objetivo é assegurar que o passageiro não seja uma ameaça à segurança, conforme anunciou a Comissão Europeia.

 

QUANTO VAI CUSTAR E COMO EMITIR

 

A autorização de viagem vai custar 7 euros (R$ 32) e poderá ser emitido até 96 horas (ou quatro dias) antes da viagem. O Etias será cobrado apenas dos adultos acima dos 18 anos de idade. Crianças e adolescentes menores não vão precisar pagar.

 

A solicitação poderá ser feita pela internet e o valor é pago mesmo se a permissão não for concedida.

 

Uma vez aprovado, a autorização será emitida concomitante ao aviso de liberação e o turista terá a permissão de viajar aos países da Zona de Schengen por um período de três anos.

 

Caso o visto seja negado, o interessado receberá a justificativa e poderá rever os documentos e recorrer da decisão em até quatro semanas. O Etias será solicitado antes do embarque, no país de origem, e antes da entrada no país. Se o visto tiver sido negado, a entrada no país também será impedida.

 

QUEM VAI EXIGIR

 

Nem todos os países europeus precisam da autorização. Apenas os que fazem parte da Zona de Schengen, que, por conta do acordo de mesmo nome, não exigem autorização do brasileiro para entrar no país. A medida que começou a ser discutida em 2016, no entanto, passa a valer em 2021.

 

Os países que vão exigir o Etias são os seguintes:

  • Áustria, Alemanha, Bélgica, Dinamarca, Espanha, Estônia, Eslováquia, Eslovênia, Grécia, Hungria, Holanda, Itália, Islândia, França, Finlândia, Letônia, Liechtenstein, Lituânia, Luxembrugo, Malta, Noruega, Polônia e também, nossa terra mãe, Portugal.

Comentários

Notícias Relacionadas

SINGULARES

Quatro estrelas do esporte mundial estão prestes a quebrar novos recordes

'Divindades' esportivas que parecem fazer suas jogadas com a maior naturalidades quebram não só recordes, mas paradigmas. R7, Tom Brady, LeBron James e Nadal são alguns deles

DEMOCRACIA QUE CHAMA NÉ

Salário mínimo venezuelano chega a valor mais baixo na história

"Com alguma sorte", dá pra comprar uma cartela de 30 ovos. E só

F****

App do envelhecimento pode ser armadilha virtual, preocupa EUA e deve ser investigado pelo FBI

O filtro que virou febre mundial foi desenvolvido para o aplicativo que foi criado por uma empresa russa. A curiosidade sobre como você vai ficar daqui uns bons anos pode custar caro. Seus dados, para ser direto. E o pior, com sua autorização