Aperte enter para pesquisar

Colunistas

Sim, vamos falar do amarelo do setembro o ano todo

"O comportamento suicida é decorrente de uma série de fatores e, ao contrário do que muita gente pensa, esse é um ato construído, e a vítima dá vários sinais de que precisa de ajuda".

por Liliane Santos

Atualizado em 18/09/2019 - 11h25

Setembro Amarelo é uma campanha iniciada pelo CVV (Centro de Valorização da Vida) que pretende dar mais visibilidade e orientar a maior quantidade possível de pessoas sobre a importância de falar sobre o suicídio.

 

O mês foi escolhido em razão do Dia Mundial da Prevenção do Suicídio, celebrado todo ano em 10 de setembro, portanto já há oito dias, mas sempre é tempo. A data é organizada pela Associação Internacional para a Prevenção do Suicídio e tem a Organização Mundial da Saúde (OMS) como copatrocinadora. O objetivo do dia é conscientizar as pessoas ao redor do mundo que o suicídio pode ser evitado.

 

O suicídio, é um ato de comunicação. “Quem se mata, na realidade tenta se livrar da dor, do sofrimento, que de tão imenso, parece insuportável”. Ao falar abertamente sobre o assunto, a pessoa com ideação suicida e quem estiver ao redor dela podem perceber os sinais e saber que existem serviços de ajuda.

 

O suicídio vem, essencialmente, de um estado depressivo, que pode ser causado por inúmeros gatilhos internos e externos. E mesmo com números cada vez mais altos, o assunto ainda é considerado um tabu para muitas pessoas. Tendo em vista que tirar a própria vida é uma decisão extrema para fugir do que é considerado um problema sem solução, a melhor forma de evitá-lo é detectar quando a possibilidade existe e agir a tempo.

 

Conversar a respeito pode abrir novas perspectivas e até alertar a outra pessoa para tomar medidas para solucionar a situação.

 

Muitas vezes, o diálogo até acontece, porém quem ouve pode não estar preparado e não sabe como reagir quando ouve uma pessoa falar que não tem mais vontade de viver e que, muitas vezes, tem vontade de tirar a própria vida. Quando não estamos preparados, podemos não dar a atenção devida a essa fala tão séria.

 

O comportamento suicida é decorrente de uma série de fatores e, ao contrário do que muita gente pensa, esse é um ato construído, e a vítima dá vários sinais de que precisa de ajuda.

 

A vergonha, o desconhecimento e o desinteresse das vítimas e de seus familiares e amigos em tratar o problema são catalisadores que precisam ser combatidos. Ter alguém para conversar é sempre muito importante. Portanto, esteja você passando por dificuldades e até mesmo pensamentos suicidas, saiba que existe ajuda!

 

Você pode ligar no telefone 188 e falar gratuitamente com algum voluntário 24 horas por dia, do Centro de Valorização da Vida.

 

Vamos tratar do assunto sempre, me cobrem.

Comentários

Notícias Relacionadas

Viva as cores

O cabelo colorido para homens é algo relativamente novo, quem dirá em nossa provinciana Guarapuava. Sabemos que ele não combina com todos, principalmente pelas personalidades e profissões - tudo tem limite ou não - mas se você tem liberdade e ousadia, pode abusar

Amores líquidos

Parece que as pessoas de tanto touch estão perdendo o tato. Lembre-se: nenhuma tecnologia substitui o olho no olho

Estado civil? Feliz!

Tudo bem pra você quando ao preencher algum formulário e no campo aí do título você se depara com a realidade (se for o seu caso) e cai a ficha que você está solteira ou solteiro? Aliás, se sua felicidade depende do seu estado civil, você precisa ler esse texto